Criando Interfaces Acessíveis

Iana Alves

No momento não há
turmas disponíveis.

Criando Interfaces Acessíveis

Iana Alves

A tecnologia e a rápida digitalização de serviços proporcionam, à sociedade, inúmeras possibilidades nas questões do dia-a-dia. Pagar uma conta? Por aplicativo. Assistir a uma aula? Por computador. Fazer compras? Por ambos. Pensando nisso, uma pessoa com qualquer limitação de acesso seria beneficiada por essas facilidades. No entanto, com a falta de acessibilidade no universo digital, continuamos repetindo o padrão de limitar o acesso e segregar pessoas que tenham capacidades diferentes do que é considerado normal pela maioria.

Em um estudo recente de Acessibilidade do movimento Web Para Todos, apenas 0,61% dos sites brasileiros analisados passaram em todos os testes aplicáveis de Acessibilidade. Ou seja, a cada 200 domínios visitados, somente 1 poderia ser considerado totalmente acessível.

Designers são responsáveis pelo cenário em questão e por promover qualquer mudança no contexto digital. Por isso, para projetar experiências inclusivas que levem usuários de vivências distintas em consideração, é necessário que estejamos familiarizados com os fundamentos da Acessibilidade e com as devidas ferramentas.

Além de introduzir e desmistificar o tema Acessibilidade, o foco do curso é capacitar os alunos a usarem ferramentas que ajudem a acessibilizar produtos digitais ou a projetar uma interface acessível desde o início. Ao longo das aulas, conceitos de Acessibilidade digital, cases de sites e aplicativos acessíveis, princípios de Design acessível, boas práticas de Acessibilidade, e ferramentas de teste serão abordados.

Não existe receita para acessibilizar um produto. A qualidade da implementação de Acessibilidade em um projeto dependerá de muitos fatores, como o público-alvo do produto, as ferramentas de desenvolvimento, a plataforma, entre outros. Ao fim do curso, o(a) designer entenderá quais são as melhores ferramentas e as boas práticas a serem aplicadas nos contextos de seus projetos para os tornar mais acessíveis e inclusivos.

Imagem com fotografia de Iana Alves.

Iana é designer de produtos digitais na Work & Co.

“Meu primeiro contato com Acessibilidade aconteceu já na universidade. Eu me formei em Comunicação Visual – Design pela UFRJ e meu trabalho de conclusão de curso foi um conjunto de materiais didáticos para crianças com deficiência visual. Para realizar esse trabalho, estagiei no Instituto Benjamin Constant por um período, no qual tive contato próximo com a vida e a rotina de pessoas com deficiência.
Desde então, acredito que designers devem projetar experiências acessíveis e procuro maneiras de acessibilizar o espaço à minha volta – seja por meio do meu trabalho como designer de produto ou do ativismo pela causa. Hoje, atuo como designer de produtos digitais na Work & Co. Anteriormente, trabalhei na Acenture Interactive, Globo.com e no QuintoAndar, empresas em que tive oportunidades de ajudar a projetar experiências acessíveis e a implementar uma cultura de Acessibilidade.”

No momento não há
turmas disponíveis.

Estrutura do curso

Introdução e Acessibilidade no Brasil.

Com a popularização do termo “acessibilidade”, muitos conceitos alheios vêm sendo atrelados a seu significado. Como forma de introdução ao curso, teremos uma conversa sobre o que realmente significa “acessibilidade” dentro e fora do mundo digital, e quem se beneficia ao usar um produto acessível. Abordaremos, também, a Lei Brasileira de Inclusão (LBI), que determina diretrizes de Acessibilidade a serem seguidas por empresas.

Cultura de Acessibilidade.

Para ser inclusivo de fato, implementar uma cultura de Acessibilidade anticapacitista dentro de ambientes corporativos é necessário. Portanto, discutiremos algumas estratégias e técnicas que podem ser utilizadas para a implementação de tal cultura.

Acessibilidade no desenvolvimento de produtos digitais.

Esse é o momento em que discutiremos sobre Acessibilidade na esteira de desenvolvimento de um produto digital. Aqui, entenderemos quando é necessário se preocupar com questões de Acessibilidade e quais são os profissionais do time que devem se preocupar com esse assunto.

Tecnologias assistivas.

Apresentação das principais tecnologias assistivas utilizadas atualmente e uma visão geral das diferentes possibilidades de navegação e interação com computadores e outros dispositivos.

Projeto acessível.

Vamos estudar aqui como projetar experiências acessíveis. Analisaremos os critérios da Web Content Acessibility Guideline (WCAG) e entenderemos as boas práticas de Acessibilidade Digital por meio de exemplos e exercícios práticos. Tópicos como usabilidade, contraste de cor, tamanho de área de toque, entre outros serão abordados. Serão apresentadas, também, ferramentas de teste que podem ser utilizadas para validar critérios de Acessibilidade.

Detalhes

Programação

Segundas e Quartas

20h às 22h

Investimento

Até 6x de ou
à vista no cartão e transferência.

Turmas

No momento não há turmas disponíveis.

Perguntas frequentes

O curso será acessível?

Sim. Nos avise durante a sua aplicação caso haja a necessidade de algum recurso assistivo.

Preciso ter conhecimento prévio em design digital para fazer o curso?

Sim, o curso é voltado para pessoas que já tem alguma experiência com Design de Interfaces, seja em projetos pessoais ou profissionais.

Preciso dominar alguma ferramenta para fazer o curso?

O Figma será utilizado para alguns exercícios básicos durante as aulas. Por isso, é ideal ter familiaridade com ele ou com alguma outra ferramenta de Design de Interfaces como o Sketch, Adobe XD, etc.

O curso é voltado exclusivamente para quem desenha interfaces?

Sim. O curso apresentará alguns conceitos gerais de acessibilidade, mas o foco do conteúdo e dos exercícios será o desenho de interfaces.